O estudo de probabilidade de perda dos seus processos em 1ª instância está disponível na Aplicação Predict, pelo dashboard ‘Lista de processos por nível de risco’.

É possível indicar a probabilidade de risco por processo, comarca, estado.

Esse tipo de estudo probabilístico é normalmente utilizado pelos departamentos jurídicos, controladorias e escritórios de advocacia na execução de políticas de acordo e elaboração de política de provisionamento.

A proposta do estudo é identificar dois pontos diferentes, são eles:

  1. qual o resultado esperado do processo (procedente/parcialmente procedente, extinto, improcedente),

  2. percentual quanto a probabilidade de risco de perda.

Destaque-se, porém, que o processo judicial é dinâmico, portanto, os indicadores são a medida que a movimentação processual avança e se alteram os fatores que compõem a análise. Ou seja, eles podem mudar ao longo da trajetória do processo.

Qual o conceito e como é feita a análise do critério da predição?

Nossos algoritmos preditivos usam aprendizado de máquina e são treinados a partir de um conjunto de dados existentes ou informações históricas existentes.

Ou seja, as probabilidades são calculadas por um modelo baseado em todos os dados contidos na 'capa do processo', nos 'movimentos processuais’ e 'decisões', não apenas da sua carteira, mas de uma grande base de dados.

Baseado em características do processo e como ele se desenvolve, o algoritmo extrai sinais relevantes e a partir disso, define os 'pesos' (ou importância) de cada fator de modo a maximizar a precisão em uma amostra significativa de processos. Depois disso, o modelo é validado em uma amostra que não foi utilizada no treinamento.

Validação e calibragem

Sempre é oportuno dizer que o uso das probabilidades necessita de validação, pois o modelo tem precisão otimizada em certas faixas de risco.


Leia também

Não encontrou o que procurava? Entre em contato conosco pelo e-mail contato@deeplegal.com.br ou WhatsApp.

Encontrou a sua resposta?